19 de outubro de 2009

Sonhos que não passaram de sonhos

Quantos sonhos não deixei pra trás junto com os meus 9, 10 anos, quantas expectativas eu não criei em vão, quantas coisas imaginei que faria um dia e que hoje não me atraem nem um pouco, quantos sonhos tive apenas por que vi alguém 'realizando' e achei legal, e sonhei em 'realizar também' um dia, quantos sonhos foram sonhados em vão, quantas invenções foram inventadas apenas para existirem por uma tarde, quantos brinquedos eu ganhei e não soube usar, quantas amizades fiz, e não soube cultivar...
Como a vida é fácil quando se tem menos de 10 anos. Não choramos por motivos bobos, os namorados são aqueles gurizinhos que nem sabem que namoram conosco, ou nem isso, quantas vezes juramos pra nós mesmos que não iremos casar, não queremos ter filhos, ou até mesmo que não iremos namorar nunquinha, temos certeza que paixão, na nossa época será uma coisa inexistente, que paixão é apenas uma coisa do momento, uma moda (doce sonho), as amigas não falam mal umas da outras, e se falam, é apenas sobre como a fulaninha se acha adulta ou coisas do gênero.
Ah, que saudade da minha infância, dos meus namorados que só eu sabia que namorava, dos namoros de olho, das amigas de verdade, daquela originalidade que se tem quando se é menor, daquelas amizades fortíssimas que se cria com a filha da vizinha da dinda pra prima da colega, quanta coisa se tem na infância que fica lá, pra ser guardada como lembrança, e olha lá, tem coisas que a gente nem lembra.
Eu não sei de muita coisa. Mas de uma coisa eu sei, infância é fácil demais, divertido demais, colorido demais, simples demais, apaixonante demais, brincavel demais, criativa demais, inocente demais, a infância é demais.

2 comentários:

betina disse...

hmmmmmmmmm, os namoradinhos de infâaancia, HAPIUSHFIUSD

adorei o texto, é bem verdade isso de dizer que nao vai se apaixonar, eu fazia isso, sdfiuphsdihfsdhfa

Ana Carolina Lima Da Rosa disse...

Gostei do texto ;D