11 de fevereiro de 2010

Amigo Imaginario (...)

Ana era uma menina quieta, educada, meiga, e tudo que uma mãe desejaria para uma filha. Tinha apenas um problema, era quieta demais, tinha poucos amigos, alias, não tinha amigos de verdade, como toda criança tem. Não brincava de amarelinha, pique-esconde, pega-pega, boneca.. nada disso. Ana gostava era de falar sozinha. O motivo ? Ninguém sabia. Passava o dia no quarto, falando com sua amiga, que ela chamava por Marina. Ia para a escola, chegava em casa, almoçava, fazia a lição, e logo em seguida dizia que Marina à chamava pra brincarem. Passavam o dia falando, brincando, era pedra papel e tesoura pra cá, discordar prá lá, dois ou um.. Tanto faz, qualquer coisa, nunca com brinquedos, sempre uma com a outra. Marina era a única amiga de Ana, e Ana, realmente, tinha a amizade de Marina como uma amizade real. Isso nao virou um problema futuro pra ela, mas poderia ter virado.

O que Ana tinha se chama amiga imaginaria, e todos nós já tivemos uma ou um, algum dia. É divertido, bonitinho, e tudo. Mas tem que ser uma coisa saudável, nossos amigos imaginarios não podem serem os únicos. Quando crianças - principalmente - precisamos conviver com crianças da nossa idade, brincar de tudo, correr, pular, se machucar - não existe infância sem machucados, não é ? - e tudo de bom que essa idade maravilhosa tem. Uma criança que não brinca, tem grandes tendências a ser isolada na adolescencia, e passar por problema psicológico.

Esse mundo on-line onde as crianças de hoje em dia vivem, não ta com nada! Criança precisa de amigos reais, brincar de bonecas, pular corda, correr, rir! Tirem seus filhos do computador, reservem um tempo para eles, e não esqueçam, problemas no trabalho ou em qualquer lugar, não são desculpa para crianças serem esquecidas 'dentro' de computadores e vídeo games. Crianças com problemas de visão, na coluna e principalmente psicológicos, precisam de ajuda o mais cedo possível. Ninguém quer ter um amigo imaginário na adolescencia. Isso além de ser motivo para Bullyng, é preocupante.

---
Eu queria primeiro agradecer por todos os comentários, e por todos os leitores! Cada um de vocês é importantíssimo pra mim, e são vocês que me dão força e animação para continuar escrevendo. Muito, muito obrigada a todos!
Depois, eu queria pedir desculpas por postar tão pouco. Não ando tendo muitas ideias, mas sempre que me vem alguma coisa na cabeça tento escrever, as vezes sai texto, as vezes não.
E mais uma vez, muito obrigada por me acompanharem durante mais de um ano de Utopias! Beijos!

3 comentários:

Danii Ferreira disse...

a é verdade mesmo'.
às vezes os pais esquecem de dar atenção para os filhos e dá nisso. uma criança triste, sem amigos, sem infância né?
aa eu lembrei de mim quando tinha meu amigo imaginário oeioeioeioei'
era legaal'. mas melhor ainda é ter amigos de verdade do teu lado (:
Beeijo.

●๋• тнαi иαรciмєитσ disse...

Eu tive uma amiga imaginária, acho que era normal. Mas como vc disse, esses "amigos" não podem ser os únicos, assim como na adolescência, os amigos virtuais não podem ser os únicos. O balanceamento é a chave de tudo, não?

*

Ana Carolina Lima Da Rosa disse...

adorei o texto :DD
mas hoje em dia, as crianças passam, mais na frente de um computador, do que na rua brincando e se divertindo com amigas :***