1 de junho de 2009

Sem titulo

Nunca pedi a ninguém um homem perfeito, que lembrasse todas as datas, me levasse em casa todos os dias, que me lembrasse a cada instante que me ama, e que não tivesse vergonha de demonstrar isso, que me desse flores sem motivo. Nunca vi motivo para um homem ser perfeito. Mas também nunca vi motivo para ele não fazer essas coisas, para ele não tentar ser perfeito. Nunca pedi para homem nenhum valorizar o que eu sinto, mas também nunca pedi para ele não tentar valorizar. Sempre desejei que fosse bom na medida certa. Não falo só de mim. Nem tenho tanta experiência para falar. Mas sei o que eu falo. Nunca quis um homem que me amasse incondicionalmente, mas nunca quis um homem que não sentisse nada por mim. Apenas quis as coisas na medida certa, nem falta delas, nem elas sobrando.
Nunca quis as coisas pra ontem, sempre soube esperar. Fui compreensiva ate em excesso, assim como amei em excesso, errei em excesso, e aprendi muito, nunca em excesso. Sempre aceitei que as pessoas tem defeitos, nunca quis mudar alguém. Nunca esperei ser perfeita, nem nunca procurei alguém perfeito.
E nunca esperei um prêmio por isso.

4 comentários:

Betina disse...

amei o texto, muito, muito, muito *----*

Punka disse...

quando tira as palavras de uma boca, coloca elas do jeito mais aessível, mais tocante mais vibrante.
tu pode nao espera um homem perfeito. Mas sempre q tu qiser, eu digo todo o instante que te amo, te do flores sem motivo e um amor em exesso (L)

Lúcia disse...

Querida...os depoimentos das tuas amigas valem toda ausência do resto...beijos...

Renata disse...

Isa, muito legal saber q tu entende uma das coisas mais importantes para q os relacionamentos (amores, amigos, família...)deêm certo: admirar as qualidades e aceitar os defeitos do outro. Só assim é possível conviver numa boa!
Beijão